Postagens

Táctica y estrategia

Mario Benedetti
Mi táctica es mirarte 
aprender como sos 
quererte como sos 

mi táctica es 
hablarte 
y escucharte 
construir con palabras 
un puente indestructible 

mi táctica es 
quedarme en tu recuerdo 
no sé cómo ni sé 
con qué pretexto 
pero quedarme en vos 

mi táctica es 
ser franco 
y saber que sos franca 
y que no nos vendamos 
simulacros 
para que entre los dos 
no haya telón 
ni abismos 

mi estrategia es 
en cambio 
más profunda y más 
simple 

mi estrategia es 
que un día cualquiera 
no sé cómo ni sé 
con qué pretexto 
por fin me necesites.

Te dedico

Te dedico este poema mas,
Poema não sei fazer
Te dedico este poema mas,
Poeta não hei de ser
Te dedico este poema pois,
Retrata o meu sentimento
Te dedico este poema pois,
Não aguentaria tal sofrimento

Tal vazio, tal solidão
A cada briga, cada discussão

Sinto uma dor
Uma aflição
Um medo que avassala
E some na mesma proporção
Pois, te encontrei
E em teus braços
Encontro o meu perdão.

Lorenzo Castro
24.03.2014




El Baúl De Billy Bones "El Mono Espabilado"

Hoje é um daqueles dias em que eu me acordo com a sensação de que algo estranho e até indesejado pode acontecer. Tenho uma intuição latente, uma coisa esquisita que me avisa, me premune de que eu devo fazer ou deixar de fazer algo. O problema é que nem sempre consigo dar o direcionamento correto, mesmo que a coisa esteja gritando no meu ouvido, faça isso, não faça... enfim, eu fico "tastaviando" tentando saber de onde o galo cantou e nada. Odeio isso, porque depois que a onda passa eu penso: eu sabia, eu devia ter atendido a minha intuição e coisa e tal, mas que raio de intuição é essa? Será que intuição é isso mesmo? Será que tem gente que consegue ter a exata percepção das mensagens que o cosmos está enviando? Sinceramente, acho tenho muito o que aprender sobre mim mesma e sobre as minhas conexões internas mesmo.
Intervalo amoroso O que fazer entre um orgasmo e outro,
quando se abre um intervalo
sem teu corpo?
Onde estou, quando não estou
no teu gozo incluído?
Sou todo exílio? Que imperfeita forma de ser é essa
quando de ti sou apartado?
Que neutra forma toco
quando não toco teus seios, coxas
e não recolho o sopro da vida de tua boca? O que fazer entre um poema e outro
olhando a cama, a folha fria? Affonso Romano de Sant’Anna

A Espera

O nada tece a conta
- no seu tempo.
O tempo conta
- não há nada!
O nada conta
- enquanto tece o tempo.
O tempo tece...
- não encontra nada!
(nada conta, nada tece - contratempos.

Nada tece, nada conta
- falta tempo!)
Enquanto não chegas
- nada acontece.
(não há tempo, não há nada!)

O Eu Profundo

Meu senso íntimo predomina de tal maneira sobre meus cinco sentidos que vejo coisas nesta vida - acredito-o - de modo diferente de outros homens. Há para mim - havia - um tesouro de significado numa coisa tão ridícula como uma chave, um prego na parede, os bigodes de um gato. Há para mim uma plenitude de sugestão espiritual em uma galinha com seus pintinhos, atravessando a rua, com ar pomposo. Há para mim um significado mais profundo do que as lágrimas humanas no aroma do sândalo, nas velhas latas num monturo, numa caixa de fósforos caída na sarjeta, em dois papéis sujos que, num dia de ventania, rolarão e se perseguirão rua abaixo. É que a poesia é espanto, admiração, como de um ser tombado dos céus, a tomar plena consciência de sua queda, atônito diante das coisas. Como de alguém que conhecesse a alma das coisas, e lutasse para recordar esse conhecimento, lembrando-se de que não era assim que as conhecia, não sob aquelas formas e aquelas condições, mas de nada mais se recordando. F…